Sem restrições: comprimento midi pode ser usado por todos os biotipos

134094766_746095689596423_3607446550229133326_n

Tabu para algumas mulheres, vestidos e saias midi podem ser adaptados à diferentes estilos e corpos, indo dos mais baixos aos mais cheios

Sinônimo de elegância e sofisticação, o comprimento midi tem conquistado espaço nas composições fashionistas e provado que há democraticidade em seu uso. Tido por alguns estilistas como um corte que pode desvalorizar determinados biotipos, há quem defenda que o realce da peça depende apenas da expertise de quem monta a proposta.

A influenciadora e especialista em moda Vanessa Simidamore explica que as roupas midi ganharam relevância nos anos 1950, mas que nem por isso às composições com essas peças tem obrigatoriamente um aspecto vintage. “As modelagens vêm sendo modernizadas, o que garante uma personalidade maior ao comprimento, que vai desde de combinações classudas até as mais casuais. No mais é apenas um modelo com corte abaixo do joelho e que se adapta a qualquer corpo quando usado de maneira correta”, garante.. 

Quanto à compatibilidade com estaturas mais baixas ou corpos mais largos, Vanessa Simidamore tranquiliza que é possível adotar o visual sem medo de parecer achatada ou com peso a mais. “No caso das mulheres mais baixas, o segredo está em buscar peças que não tragam uma quebra visual para a área da cintura, de modo que a continuidade da peça vá conferir um visual mais alongado. Peças como vestidos de tecidos fluidos são os mais recomendados, mas caso queira usar uma saia, a dica é optar por uma parte de cima com uma cor que não contraste. Fendas laterais também ajudam”, recomenda.

No caso das mulheres com numeração grande, para que o quadril fique mais largo, a especialista aponta que marcar a cintura ajuda a equilibrar as proporções. “Aposte ainda em estampas verticais ou com desenho menores, que tendem a diminuir visualmente o corpo. Caso a opção seja por uma peça estampada na parte de cima, ornar com uma saia midi lisa na parte de baixo ajuda a criar mais equilíbrio”, aponta Vanessa.

Tecidos fluídos e cortes verticais na barra da saia trazem uma maior sensualidade ao comprimento midi, que ganha um ar mais alongado devido à estampa com mesclas de tons mais neutros. A opção por um sapato mais aberto e delicado evita que o visual tenha um aspecto achatado. 

Para quebrar a formalidade e o ar senhoril das peças com comprimento midi, a dica da especialista em moda Vanessa Simidamore é adaptar a peça para estilos mais modernos. Nesta opção a influenciadora optou por um tecido mais leve, mas que ao ser combinado com uma jaqueta de couro e botas ganhou uma pegada mais rocker e alternativa. 

Para quebrar a formalidade e o ar senhoril das peças com comprimento midi, a dica da especialista em moda Vanessa Simidamore é adaptar a peça para estilos mais modernos. Nesta opção a influenciadora optou por um tecido mais leve, mas que ao ser combinado com uma jaqueta de couro e botas ganhou uma pegada mais rocker e alternativa. 

A maneira mais clássica de adotar as peças midi sem medo de errar é por meio dos vestidos. Apropriados tanto para ocasiões mais formais, quanto para o trabalho, o comprimento quando combinado a tecidos mais nobres como o cetim e a alfaiataria trazem requinte à produção. Sapatos de bico fino ou tiras finas, assim como cintos para marcar a silhueta complementam o visual com elegância.

Compartilhe nas redes sociais

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas notícias